Espuma do Riacho (Xote, Arrasta Pé)

Você já viu a pose da Iracema, já viu sua transa com a Elena.
Já viu como dança a morena sem haver toque só de boca pequena.
Vocês já viram como elas tomam chimarrão, permutando em bonita união.
Passeiam juntas sem largar as suas mãos dormem juntas não separam de colchão.
São femininas e não precisam de macho, não são quadradas viram bem sem ter cacho.

Realizam pode ser por cima ou por baixo não intimidam com a fonte do riacho.
Fazem percurso dirigindo o automóvel no túnel do viaduto não gasta e não sove
Em aventura promíscua não há ninguém que estorve
Vivem sempre em aulas teóricas praticando o sessenta e nove.
Falam em suas grandezas mesmo que ninguém aprove.

São atualizadas é muito legal saem na rua contando vantagem
Não existem amigos para por o carro em sua garagem
Com bons preparativos preservando na sua bagagem
Possuem bons assessórios agindo positivo na viagem.
São farinha do mesmo saco arvore da mesma ramagem.

Econômica sem uso de vaselina é escorregadio patrimônio da sua laje
Compram  carro do ano chevrolét também carro voiage.
Não viajam no centro da pista deslizam é só na margem
Não quer ser chamado de Sapatão junto da lei reage.
Quem se meter com as tais homem ou mulher sofrem friagem

Esperam firme na estação por causa delas o metrô não some.
Pois tem muita delicadeza gostam de levar bom nome.
Calças largas chapéus cintos apertado arrochado no abdome.
Usam botas rangedeiras falam grosso que nem homem
Se essas modas prevalecer os garanhões vai passar fome.

Composta em 13 de outubro de 2006 – às 20h48

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments