Estatística (Arrasta Pé)

O silencio da madrugada mulher, é isso que preferia.
Seus fregueses afortunados mulher, boas ofertas fazia.
Nos becos da escuridão mulher, aonde vocês se escondia.
Hoje está tudo mudado mulher, com a velhice em porfia.
Você alegra dos janeiros que passou livrei você da epidemia.

Hoje você esta enfronhado de vida em devassidão.
Vai despedindo apressado descendo seco no caixão.
Gostava de bailes e cassinos associado de seus irmãos.
O craque e a maconha deram a vocês péssima lição.
Responderás pelos seus erros com a elite em união

Aids chega sem piedade para todos os gananciosos
Afetando todo o mundo deixando os ativos nervosos
Declarado com pena de morte de crimes horrorosos
Quando vocês seqüestravam os empresários famosos
E dos filhinhos abastados aids e cadeia torna gostoso

A praga vai multiplicando não adianta ser otimista;
Mexendo com fogo se queima não há carne que resista;
O caminho sem retorno tem fim as suas conquistas
Na era contemporânea temos ricos de estatística
Terrenos que ricos não vagueia aids vai direito à pista;

Composta em 25 de outubro de 2006 – às 10h51

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments