Eu sou Descartável (Arrasta Pé)

A lua vem a lua vai o sol cansa de esperar também vai.
A lua faz fusquinha tornando vim correndo atrás.
Assim é o meu grande amor que comigo se distrai.
Passa o tempo me logrando amando um feio rapaz.

Vamos ver até onde vai esconde e esconde sem o ai.
Mais eu descartável logo não sou mais fico sem o ai.

O sol derrama suas lagrimas por um amor que já bai bai.
A lua subordinada ao sol ele te supre jamais não trai.
Assim é o meu amor que sumiu no Paraguai.
Descartáveis te esperam sem auxilio de rivais.

Volta mim de tempo em tempo fica de vai e vai.
Meu curral de cerca elétrica já era não sou mais.
Insultando em cartinhas e touro longe se decai.
Superlota de notícias me chamando de tio e de papai.
Ai, ai, ai, ai, ai vamos ver até onde vai.
O sol não cansa mais eu descartável não sou mais

Composta em 14 de novembro de 2006 – às 16h19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.