Lombrigas Assustadas (Arrasta Pé)

Fui procurar uma benzedeira estava cheio de levar sova.
Tem só benzedeira velha mais esta era uma nova.
Com lombrigas assustadas ela quis testar dando prova.
Lombrigas assustadas era o tempo de desova.
Ela ativou-me em priaprismo sem morrer caí na cova.

Lombrigas enfureceram quase que chamei reporte.
A benzedeira animou-se multiplicou a minha sorte.
Lombrigas esticaram e do sul passou e foi pro norte.
Peguei o facão do Cristiano corri abrindo um corte.
Facão de penacho e Guarani não pode me causar a morte.

Benzedeira delirou-se sonhou acordada e fez relato.
Era um verme especial que eu não tinha aparato.
A lua os favoreceu o verme ficou ingrato.
Assunto contemporâneo na estrada soltou o sapato.
Foi leiga a benzedeira disse fico louca ou me mato.

A lombriga acalmou ficou tudo normal.
Ela ficou animada disse você é sensacional.
Quero morar com você num casamento legal.
Essa profissão maldita quase que torna fatal.
Num Brasil de milhões sem existir outro igual.

E disse eufórica beijando-me sem você não mais agüento.
Falei resoluto beliscando com você tudo enfrento.
Fui procurar benzedeira eu é que virei um fermento.
Trouxe a benzedeira morar em meu apartamento.
Nosso único desespero é apressar o casamento.

Composta em 8 de novembro de 2006 – às 12h21 

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments