Aranha Viúva Negra (Baião)

Naquele recinto de nosso encontro.
Parecia imaculado em amor dobrado.
Agora vive repetindo a mesma dose.
Onde tu encontras os novos namorados.
O que sobrou para mim é saudade.
Em alto mar o barco naufragado.
Soterrado num inferno sem ar.
Falindo o amor fui carunchado.

Recinto inanimado em testemunho.
Também agora com seus novos amores.
As juras vans momentânea oca falida.
Aparentando sincera no final é só dor.
Momentos prazerosos passam com tenacidade.
Viúva negra mata seu dono galanteador.
Num delírio estou sem querer distanciar.
Duma fobia de um amor constrangedor.

Exausto sem ciúme de quem te apodera.
Porque sei quanto é funesto sua atitude.
Todos sofreram em pegadas venenosas.
Tu não mudas respeito mútuo na latitude.
Tua futilidade vem à tona declina sua conduta.
Encanecendo seus pertences sem que ajude.
Quem beirou seu recinto desvanecerá.
Sobrará tempo insalubre para chorar no ataúde.

Composta em 22/8/2011

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments