Burguesa no Pedaço (Baião)

Vi o meu amor escondida na moita de araruta.
Tempos que desconfiava veja quanto fui biruta.
Vivia sempre reclamando tomando chá de buta.
Queixando de saúde pra mim ridicando a fruta.

Com mais de dez anos sofrendo resolvi fazer permuta.
Saí quieto no silêncio pra que nada se discuta.
Procurando um novo amor arrisquei numa garota enxuta.
Cansado de viver no logro Eu sendo caboclo batuta.

Deixei a costumeira com novos amores encerrou nossa disputa.
A persuasão pecadora era teimosa nada escuta.
Joguei todo meu patrimônio vinte anos de labuta.
Seus amores de estrelas cadentes minha propriedade desfruta.

Sondando novos horizontes idéia firme resoluta.
Voltei ser jovem adolescente a sociedade recruta.
Acoplei com as burguesas moradas em novas gruta.
Do amor antigo distante providenciei chá de cicuta.

Tornei homem super rico deixei ela devoluta.
Amor das felinas burguesas fez esquecer da matuta.
Meu jardim florido maleável derreteu a profissão bruta.
Com burguesa no pedaço tornei um bom mestre cuca.

Composta em 9 de novembro de 2006 – às 17h11

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments