Casa de Formiga (Baião)

Fui a casa do Crescencio  contratei uma rapariga.
Precisa ver como sofri foi uma casa de formiga.
No começo fez carinho fingido em ser amiga,
Foi pegando o meu jeito nos bastidor era intriga.

Desgraçada ficava beliscando me dava dor de barriga.
Dia e noite dava problema só me causando fadiga.
Viver com essa urutu não há ninguém que prossiga.
Esperando a todo o momento em toda hora  periga

Só quer luxo objeto de marca pra comprar ela obriga..
Pede só em horas imprópria contenta quando castiga.
Importou com minha viola detesta todo tipo de cantiga.
Só come pêra e pêssegos gostam de milho de espiga.

Dum certo tempo para cá só trata eu como inimiga.
Tudo que eu falo com os amigos segredo quer que eu diga.
Diz que vai sumir na estrada porque eu sou fraco na viga.
Conta a todos que seu jardim a tempo que não mais irriga .

Nosso amor esta distanciando jamais a gente irraiga.
Não vejo hora de evaporar e para vem longe siga.
Vou dar trégua no coração que sem descanso fustiga.
Vou só renovar com os brotinhos banindo todas as antigas.

Composta em 08 de agosto de 2006 – às 10h03

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments