De valor a Quem te Ama

Minhas lagrimas volumaram  por você que era meu lenço.

Gritando o tempo todo sem calma pro meu leicenço.

Sem calmaria ou sossego naquelas coisas que eu penso.

Me judia na pirraça e meu sofrer penoso é intenso.

 

No rendimento do nosso amor resolvi fazer o censo.

Quero você a qualquer custo no final sei que eu venço.

Sou um esperma vigoroso lutarei por quem pertenço.

Você  vai cansar de ingratidão de uma calma pro Lourenço.

 

Análise  bem nosso amor é sem limite é imenso.

Sem amor da Veridiana  num piso rijo me imprenso.

Sem o sangue no meu físico não resolve ser suspenso.

De valor a quem te ama volte amar o seu Lourenço.

 

Não escolhas hora de regresso são constantes não te dispenso

A natureza tem sua ordem também pra você sou propenso.

Não te comparo com nenhuma pro nosso amor fico denso.

Não vá  dar vácuo pro nosso amor deixe tudo pro Lourenço.

 

Composta em  29 de novembro de 2006 – às 09h27

 – às 09h27

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments