Ferro dentro de Concreto (Baião)

Nem sol e lua de vigia ponham fim no meu triste penar.
Também nem jardim florido pode me fazer consolar.
Nem orvalho e manhã serena nem as belezas das praias mar.
Viola não traz alegria por tocar constante ver eu te abraçar.

Só daria simples consolo se eu pudesse rápido voar.
Embaixo das asas duma andorinha sua casa ir te visitar.
Encontrando você solitária chorando por me esperar.
Mataria a minha saudade por nosso amor recomeçar.

Volte ser a estrela da alva de madrugada para me iluminar.
Ou sou igual ferro dentro de concreto não podendo mais respirar.
Não quero ser pernilongo moído pra no seu coração não penetrar.
Não existo sem seu amor sua ausência vai me matar.

Composta em 14 de novembro de 2006 – às 15h56

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments