Metamorfose (Moda de Viola, Baião)

Vêm andorinhas, vêm andorinhas. Hoje seu dia feliz já findou.
Em contraste também por que.  Meu dia hoje triste fracassou.
Vim aqui curar uma dor sem limite. Que a malvada sem dó causou,
Vejo tua paz com quem te ama. Sinto vergonha na exaustão do amor.

No rio Itararé eu procuro dia de conforto. Construído por nosso criador.
Vejo a natureza dia e noite morrendo.  Vocês feliz porque Deus permeou.
Vocês cantam agita na revoada.  Procurando o leito que te apossou.
Sei que tu voltas dias e anos.  Atmosfera sadia te agasalhou.

Meu amor diferente misteriosa. Que de mim se distanciou.
Tempo mudando em metamorfose. Foi nos braços dum traidor.
Dia que enfrento obsoleto. Mas vocês retornam em indizível pudor.
Vêm andorinhas vem concretizar. Divida comigo o quinhão que abraçou.

Vêm andorinhas, vêm andorinhas. Vem acoplar que a sorte minha.
Provoque a volta da minha andorinha. Extasio em que desmoronou.
Na volta tenho presunção. Vem arrependida em veracidade.
Receberei como antigamente. Porque andorinhas ensinam a realidade.

Composta em 14 de agosto de 2006 – às 16h44

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments