Miss Necessitada de Amor (baião de Adélio Carlini)Nº369

Miss   Necessitada de Amor (baião de Adélio Carlini)Nº369

Gosto de levantar cedo. Na hora que os pássaros gorjeiam.
Senti séria necessidade. Em fazer cafuné na gadeia.
Sentindo teso encurralado. Num apogeu quando anseia.
Fui procurar a Carmela na noite de lua cheia.

Senti meu sangue fervendo. Por quando ela se penteia.
Sem energia elétrica opaca. Só em fumaça de candeia.
Cheguei cedo na casa dela. Regulando seis e meia.
Bati na porta ela me atendeu. Veio sacudindo a sarneia.

Ela já estava esperando. Com o sangue quente nas veias.
Concorre com as moças mais lindas. Do Brasil que dirá da aldeia.
Abracemos no saguão da casa. Mas no inicio nós nem proseia.
É só nos abraços e beijos. Conversamos só nós depois da corneia.

Tirei a barriga da miséria. Jogando nos vence é na goleia.
Meu carro é de motor novo. Com potencia e não rateia.
Jogo na lama e repecho..Não patina nem  ladeia.
Na tardinha tem convite.   Ao chegar na hora da ceia.

Passeando no jardim fraquejei.  Ainda bem que ela aconselha.
Senti igual jegue animado.  No ambiente quando orneia.
Na sua pele sedosa e macia e clara. Tenho prazer quando tateia.
Senti uma enorme necessidade. Que trouxe ela pra minha costeia.

Composta13/4/2009

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments