Naufragado o Meu Caíque (Baião)

Namorei uma lesbiana.  Quero que todo verifique.
Era topetuda e pratica Forçando que eu beatifique.
Meu físico sentia saudade. Ela dizia que danifique
Quando eu se me aproximava. Ela gritava identifique.
Sou ancestral e tradicional. Estranhava seus trambiques.
Notem a vida dum inferno que vivia seu Henrique

Pensei em desterrar-me. Ir morar lá em Munique.
Mas ela apercebendo. Mudou os planos do cacique.
Sem poder dizer a verdade. Pedia que eu justifique.
Saí cedo na surdina. Sem que ela notifique.
Não conclui meu empreendimento. Ela correu no testifique.
Dúbia sem saber o que deseja. Algemando o seu Henrique.

Grampeei a boca num silêncio. Ela que se glorifique.
Nervoso no desalento. Eu sem chance de retifique.
No meio das caçunungas. Observando seu piquenique.
Desorientei no fracasso Olhe a situação do seu Henrique.

Vivia só embrenhada. Ocupada em sua boutique.
Entupida de grotas e morros. Secou o tanque de alambique.
Eu seco igual pão torrado. Vendo ela no liquidifique.
Sem rumo de águas potável. Naufragando o meu caíque.
Quero ser gordo sem dinheiro. Toda a impreca que publique.
Que ela avance o seu rumo putrifique. Mas de sossego ao seu Henrique

Composta em 24 de setembro de 2007 – às 15h10

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments