Pasto de Motel (Baião).

 

Novilha não é mais terneira mais ainda quer mamar..
Novilha não tem sarna mais vive a se coçar
Separe ela do rebanho porque seu dia vai chegar.
Com todo o capim pastado ela não quis engorda.
Toda água da nascente a novilha não bebia.
A sede não saciava  e a nascente enfraquecia.
Ela pulou a cerca o pasto não abastecia.
Hoje ela está amojando baixou noutra freguesia.

Novilha virou vampiro tanto morde também mama.
Fazendo pasto de motel braquiara é sua cama.
Pela sarna da novilha do pasto secou a grama.
Sofrimento das feridas lamenta porque inflama.
Muge o touro no curral sabendo que ela ainda ama.
Touro briga e guerreia se não completar o programa.
Ela não come mais capim porque está tomando brama.
Alem de ser amorosa é chegadinha em muita grana.

Enquanto esta pastando só fica de quatro pés.
Não faz conta de soldado enroscar o seu boné.
Avança em pasto alheio nem que zangue as mulher.
A luta de cacete com a polícia de Itararé.
Novilha viaja ao corte pros ricos sobra o filé.
Viajando de contra bando em bancos de chevrolet
As noites caem serenas no interior de cabaré.
Onde a maconha não é macaia no básico do craque e rapé.

Composta em 4/8/ 2006  

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments