Prisão que Leigos dançam (baião)

Prisão que Leigos dançam (baião)

Estão em busca de votos. Dizem ter um bom nome.

Mais o enfeite é só rótulo. Porque tremem diante do homem.

Dizem não ser de política. Mais age nos bastidores.

Conforme o nó aperta. Voam iguais beija flores.

Todo o que o mundo oferece. Naquilo que tem o direito.

Harmonizam facilmente. No bolso tudo é aceito.

Aquele que não é político. Não trabalha de comerciante.

Não faz parte da besta. Porque de Jeová é amante.

Não amolda com as religiões. É odiado a todo o momento.

Sem amigo e sem irmão. Pra sociedade é fedorento.

Na ilha de Patmo João. Encerrou a bíblia sagrada.

Apocalipse em terra estranha. Numa prisão encerrada.

Preso por severa perseguição. Porque zelo declarava.

Atos justos do Deus Jeová. Que o mundo todo odiava.

Quem busca votos de vocês. Pra mais membros na religião.

Agem aleivosamente em desespero. Pra entupir o saguão.

No fundo é dinheiro em destaque. Dizem ser bom cristão.

Ali fazem os prosélitos. E depois a destruição.

Tapam o sol com a peneira. Dá tapa esconde a mão.

São gatos bajulados. E também é garanhão.

Dizem quem entra no inferno. Sem sair nunca mais.

Adeus liberdade dado por Deus. É vivo com seu cartais.

Tem cabresto em cordas de aço. Sem escapar jamais.

Medo que Deus os castigue. Nos mais altos tribunais.

Composta em 15/9/2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.