Vácuo sem Rumo Fixo

Encafifado dos maus acontecimentos. E jubilando de bons momentos que passei.

Na juventude quando eu era mais trigueiro. Amores e saudades que na vida arranjei

Hoje sou igual banheira escumada. Longos janeiros dos fracassos  que encontrei.

Na vida com rotinas mui gulosas. Eu só conto meu passado de quando eu amei.

 

Prolongado com alegria e felicidades. Mais um dia a solidão coberta eu fiquei.

Aquela que eu tanto amava. Deu a maior tristeza. No féretro ultima vez que eu beijei.

Hoje permaneço num mundo sem destino. Num vácuo sem rumo fixo até hoje chorei.

Sem aquela que eu tanto amava nada mais vale. Recordando até chegar a minha vez.

 

Cabelos brancos rosto todo enrugado.   Mundo me desprezando sem obter a solidez.

Delirando da vida mista vem recordação. Vou rindo muito fui feliz e vou rir muita vez.

Sinto só que a sociedade dando desprezo. De quem fui seu banco e seu indez.

Pobres que deixei poderoso e rico. Sumiu sua atitude  que mostrava ser cortês .

 

 

Composta em 28/6/2016

 

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments