Sósia no Despeito(canção)

João de barro procurou ginecologista. Raridade reclamar de impotente.
Resultado foi de sua amada sair da lista. Dando chifres ao pobre inocente.
Desabando o mundo frustrado na conquista. Derrotando a saúde e a sua mente.
Sem forças para encaminhar na pista. Com a ingratidão ficando fraco e doente.

Mesmo sendo um especial artista. Tem casa vazia e o choro é plangente.
Sem companheira só abaixando a crista. Sem alegria nada mais é conveniente.
Sem amor sem alegrar os paulistas. Com lindo cantar em dueto estridente.
Comparação de qual eu passo em revistas. E sofremos do funesto entorpecente.

Eu levando chifres na minha vista. Hoje não canto agudo eu sou apenas um emoliente.
Perdi a minha joia de rubi e ametista. Sem nós cantar tirando o prazer de toda a gente.
Sem graça virei um débil humorista. Derrotado em ziguezague curtido de aguardente.
Nossos fracassos sem faltar quem registra. Somos vira latas de um mundo diferente

Não há coração que seja forte e resista. Somos atacados no passado e presente.
Com razão com toda sorte de pessimista. Nossa voz tornou em tudo insuficiente.
Preciso colocar Deus em otimista. Porque maior receio é que isso mais aumente.
Deus ginecologista e prático legista. Pode centralizar o dote a nossa linda gradiente.

Composta em 10/10/2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.