Amor em outro Continente (Cateretê)

Fui eremita num deserto isolado sem ninguém.
Resolvi agasalhar-me com mulher de netos e neném.
No meio de borrachudos fiquei liso sem vintém.
De madrugada fugi ressecado  correndo a mais de cem.
Arranchei com uma sarava ativa tinha o nome de Luzia.
Não imantava pro  meu lado dando valor pra bruxaria.
Saí de lá vendendo azeite  fui morar em vacaria.
Se eu demorasse um pouco era alvo de feitiçaria.

Em Vacaria uma gaúcha linda lesbiana rica fazendeira.
Levei nova experiência imitei vaca leiteira.
Gaúcha mamava exigia ou entrava  na açoiteira.
Saí emaciado e louco dum amor dessa maneira.
Namorei  com uma juíza tempo duro pra sofrer.
Igual um leão na jaula tinha de obedecer.
Se não pisasse direito mandava surrar e prender.
Ciúme doente exagerado  eu leigo sem entender

Procurei uma simples abissínia onde amor  encontrei.
Depois dos escorregadios levo  uma vida de rei.
Ela sabe em que necessito  segredo não conto a vocês.
Senão total das africanas quer aprender idioma português.
Tornei galã saciado arriscando que acertei
Nos braços da azeitona caçununga amor sincero sujeitei.
Invejadas das femininas não vejo passar anos ou mês.
Culmina felicidade extrema  premio do Oscar conquistei.

Composta em 11 de novembro de 2006 – às 9h52

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments