Planos Gélidos (Cateretê)

Já estragaram toda a terra agora querem estragar também a lua.
Querem ir morar em marte depois que a nossa terra esta nua.
Destruíram campos e matas pra água acabarem se acentua.
Inteligentes envergonhados seu galardão abutua.

Hoje campos têm soja e boi e seu fracasso flutua.
A ganância tomou conta estragaram terra estragam duas
Não adianta hoje fazer pose não adianta gritar na rua.
Estragaram propriedade alheia, pois a terra não é sua.

Agora querem preservar a natureza seus planos são gélidos e crua.
Vendo as águas dos rios sumindo igual cometa que avua.
Igual bala dum bombardeio que em nossos ouvidos zua
Crianças afirmem o pé que Deus fura de arco de pua;

Não adianta ir a marte pra Deus não tem falcatrua;
Deus avisa os perversos que destrói e continua.
Fartura que a terra tem os fracassados se abitua.
Não adianta pincelar a casa sem haver quem os construa;

Deus não aceita barganha dos falsos que prostitua
Leis do universo é esse Deus é rei e não arrecua.
Com homens maquiavélicos com esses um Deus não pactua;
E com a terra arrasada homem não há que substitua;

Composta em 12 de março de 2006 – às 12h

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments