Resultado das Drogas (Cateretê)

Com revólver atirando sem miragem abessa.
Os amigos avisaram por eu estar sem cabeça.
Logo veio outra bala sem alcançar remessa.
Hoje na cadeira de roda levo vida as avessas.

Vida de lembrança para que jamais esqueça.
Vou só me de finando até que a vista escureça.
Resultado das drogas fez que tudo isto aconteça.
Nesta triste desventura não há quem me favoreça.

A gente colhe os frutos podres sendo que é só isso que mereça.
Aviso os amigos incautos comigo não se enfureça.
Pois não tem tamanho ou forte não sai ileso e só pereça.
Depois de leite derramado não adianta nem aborreça.

Nesta era demoníaca onde todos os amores cessam.
Incluindo eu na história diabo quer que o mal cresça.
Num caminho irreversível levo uma vida funesta.
Mundo o homem não concerta cada dia gigantesca.

Agüente duro sem lastima depois da vida revessa.
Você riu quando subia ria também agora quando dessa.
Você internado num manicômio pai e mãe que adoeça.
Jesus pra ti vira as faces no outro canto que apodreça.

Composta em 27 de outubro de 2006 – às 01h52

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments