Homem Sadio (Moda de Viola, Corta Jaca)

Sou homem sadio alegre e gosto de festa.
Invejosos faz rodeio me persegue e molesta.
Querem deixar-me irritados com sintoma indigesta.
Sou rico trabalhador por isso os vadios detesta..
Procurando corroer-me por ver eu nos braços da Eernesta.
Sou um violeiro afamado chamado em todas as festas.
Faço moças soluçar profundo com as contínuas serestas.
Só com o amor do meu benzinho que o coração refresca.
Multiplica amor colorido parece que eu estou numa floresta.
Invejosos são despeitados chorando distante da Ernesta.

Na presença das meninas  inspira só moda que presta.
Caipiradas esconde o focinho atrás  da porta olha nas frestas.
E no meio das dezenas escolho as mais modestas.
Aquela de olhos verde que achei ser a mais honesta..
Invejosos roem as unhas por ver-me nos braços da Ernesta.
Vou fazer minhas orações na sombra duma giesta.
Quero ver é com nota dez amor não fique agresta.
Quero ser sadio em tudo não ter a sorte funesta.
Quero ficar rodeado de gente boa que presta.
Amor casto prazeiroso, coração colado na Ernesta.

Nosso amor fiel eterno que o próprio Deus não contesta.
Diabo e demônios malignos os invejosos se encrespa.
Ardis atos caluniosos tempo inteiro gigantesca.
Deus protege com seu manto cobrindo o corpo e a testa
Protege um amor imensurável sou um átomo com a Ernesta.

Composto em 22 de agosto de 2006 – às 16h30

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments