Gatos Pingados (Cururu)

Eu parei com cantoria achei que nada compensa
Pois todas as mulheres que amei sofre de grave doença
É desilusão e confusão  nelas perdi toda a crença
Só quer filhos e pensão aproveitaram e fiquei na prensa
Dinheiro que ganhei com a viola  hoje gasto com depressão
Rodou as fazendas, ações até Motorola rodou meus grupos de mansão
Amor interesseiro e falsidade é igual terra no terrão
Quem quer amor e felicidade é com o amigo violão

Deixei de cantar com pesquisa pra ver o que resta do mundo
Canção de amor que desliza invertendo vai no fundo
Violão deixou-me rico as canções forrou-me de status
Mais os mananciais, pois o bico polui só de amor ingrato
Deixei de ser gato pingado ninguém faz mais eu de gato e sapato
Quero amar e ser amado e ninguém soltar eu no mato
Deixo de ser riacho potável pra elas um poluído regato
Hoje sou um forte macho distante dos carrapatos

Composto em 16 de novembro de 2006 – às 8h03

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments