Maior sem Tiguera (cururu)

Sou o maior boiadeiro. Prazer em gastar dinheiro. Feliz destacado mineiro

Sem deixar que alguém me explore.

Minha fazenda destacada. Todo o horizonte da chapada. Prazer em ver a boiada

Só tenho gado nelore.

Justiceiro com razão. Em cima do meu alazão. Sem vaga no meu coração.

Não quero que ninguém me adore.

Querendo ser livre de luta. Com minha vida batuta. Adotei boa conduta. 

Descobrindo quem me enamore.

Mais apareceu em nosso meio, Precisei cortar de reio. Ele tinha apelido feio.

Destruidor de clitóris.

De mim jamais escapa. Completei tirando o mapa. Era afamado lá na Lapa.

Dei cabo para que não vigore.

Os que desmancham mundéu, Tem de ficar no réu, Tem de aprofundar no marnel

Onde tem paz que não more.

Charme da Vera em meus passos. Dormindo nos seus Braços. Coração não  sem espaço. Pra que depois não chore.

Passa o dia na minha espera. Sem limite é o amor da Vera. Sem deixar formar tiguera

Ansiosa quer que eu as devore.

Composta em30/6/2013

 

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments