Adélio Carlini Cururu Ver Navios (cururu)

Ver Navios (cururu)

Eu era uma moça virgem virtuosa amava dois no mesmo momento.
Até que Luiz foi o que venceu realizamos nosso casamento.
Só que Luiz era bom companheiro mais eu não tinha alimento.
E Pedro era um moço e feio podia tirar o meu tormento.

Luiz era uma fonte de água mais sem eu poder saciar.
Com uma sede tamanha grande desespero me apoderar.
De sonho não podia viver e no Pedro vivia a pensar.
Sendo fonte de água doce sem ver navios naufragar.

Trinta dias eu inteirinha resolvi fazer uma madrugada.
Luiz ficou no sono profundo eu soltei os pés na estrada.
Com Pedro tive felicidade não é beleza e dinheiro e não amada.
Pedro fornece o que eu preciso e ver navios não me agrada.

Luiz com calças pula brejo continue jogar biliar.
Use brinco e queime rosca eu e o Pedro tem vida pra gozar.
Fique Luiz com suas tatuagem eu e o Pedro usando as peças
Pedro continue tocar sua flauta eu e o Pedro o amor nunca cessa.

Composta em 30/10/2006 Hora 13;27

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado