A união das Andorinhas (Guarânia)

Nesta terra que hoje eu piso poucos sabem o valor que tem
Onde os turistas não são atraídos pra ver andorinhas que vai e vem
A  rocha que eu estou observando hospitaleira atraente sustem
Itarareense não enfoca nem da´cobertura anfitriã fazem refém
Andorinhas encantadoras esta pedindo que venha alguém.

O marulho no cânion dando o som de trovão. Alegra o coração faz esquecer tribulação
O criador desenhou e construiu, a natureza sorriu, andorinhas brincam no rio, inanimados advertiu
Que dirás da alma dum sofredor, desiludido de amor, sustenta dando mais calor, dum coração constrangedor.
Não despreze esta terapia, livre-se da cirurgia,
De quem te amou um dia, vindo aqui tudo alivia.

Andorinhas tua paz tua união, da ao mundo uma lição.
Egoístas frágil da população, desviando sua atenção.
Vendo a falta de amor na fraca criação.   Humanidade é só destruição.
O povo humano é só preocupação, só droga e extorsão. 
De Porto Alegre até Belém, lugar igual ao nosso não tem,
Na gruta as andorinhas vem, Veja e anote parece que você está no alem.
As andorinhas é muito alguém, é amigas por mais de cem.
Pra quem vive sem ninguém, sem notícias do seu  bem.

Itararé de mãos aberta felicidade é na certa
Andorinhas do trauma desperta, sua desilusão se concerta.
Sai o eco da eterna canção, nas cordas manhosas do meu violão.
Afugenta sua triste paixão, substituído com afeição.
Nesta gruta silenciosa, na canção romântica melodiosa.
Os presentes aqui se entrosa, com minha voz maravilhosa.
Amargurado dou a despedida,  adeus gente boa amiga.
Fazem excursão longa e cumprida, visitem aqui enquanto tem vida.

Composta em 9 de outubro de 2006 – às 16h28

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments