Amor de Mulata (Guarânia)

Na cidade do interior sossegada e pacata,
Jogaram eu pros escanteio com atitude ingrata.
Não souberam dar valor dum novo amor da escolhida mulata.
Fiquei em cima do muro meditei o futuro por ver os gracejos da gata.

Meus anseios vulneráveis, ela entendeu que não era sensata.
Ataviados em abraços e beijos que soaram igual cascata.
Tenho coração dominante e com o dela nós empata.
Seu dócil sorriso não afasta aproveitamos em hora exata.

Meu Ford foi castigado pelo amor da mulata.
Estragou os amortecedores e faliu as sapatas.
Apesar dos traidores alegremos com a regata.
Podem vim com seus trunfos que com o naipe nós mata.

Nosso amor não seleciono porque sou positivo na data.
Mostrando minha fidelidade, na cidade o casório nós ata.
Quero que não esqueça põem na cabeça que eu sou magnata.
Sei honrar o compromisso saiba disso, não sou sangue de barata.

Em grade de controle remoto você eu não enxoto comigo é batata.
Dou-te minha fazenda dinheiro do cofre não sou bofe de atitude ingrata.
Dou todas as jóias e brilhantes os diamantes ouros e prata.
É você o meu anel de turmalina minha Cristina linda MULATA

Composta em 15 de outubro de 2006 – às 16h52

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments