Adélio Carlini Guarânia Amor que Mata e Amor que Cura (Guarânia)

Amor que Mata e Amor que Cura (Guarânia)

Andei anos na esbórnia por um rabo de saia.
Numa escalda rabos eu fiquei na pilhéria do povo.
Parei pensei voltei como ser um homem direito.
Outra mulher ativa fez viver e sarar de novo.

Estudei um novo esquema pra outra gostar de mim.
É um segredo infalível e ninguém pode decifrar.
Mais note a diferença em recíproco nos amar.
Amor destrói amor que cura e amor não é só beijar.

O mundo me ensinou e mostro hoje para o mundo
Caminho certo sem empecilho com alguém para amar.
Se forem perspicazes venha fazer diagnóstico e inspeção.
Notem coração curado com estímulo começo da estrada.

Estou renovando de modo avançado com disposição.
Passado nem lembro sem psicólogo vejam como é.
Temos extrema sabedoria unimos os dois corações.
Parece uma centena mais é só uma casta mulher.

Uma trigueira que conquistei na roça escolhida para mim.
Singela com o fio da meada mais entende o que é o amor.
Hoje sou rico dedico o tempo para ela e ela para mim.
Minhas sósias estudem e veja eu não sou professor.

Composta em 28 de novembro de /2011

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado