Adélio Carlini Guarânia Arre Arrevertidas

Arre Arrevertidas

Nesta era que impera a deslealdade
Na epidemia da armadilha bem _sucedida.
Caem em por atuar em amor forjado.
É safras volumosas mais num enrosco de vida
Desprezado quem merece todo carinho
Vai no escanteio sua mãe dócil querida
Em fingimento transformam em estrelas cadentes
Visitam as mães nos biênios elanguescida.

Visitas beliscando os fundos dos idosos.
Objetivos em ver toda carne derretida.
Nos cansaços que aceleram frágil devaneios.
Funestos resultados em ver a alma arrefecida.
Nas insônias em pesadelos variáveis.
Eles tem tua prole em fumaça possuída.
Restam coragem aos filhos para eternarem.
É no asilo de cara lavada mudando a investida.

Este mundo é repleto de ilusão e de epidemia.
Os passadios na velhice destituída.
Nos velórios que lágrimas vem furtivas.
Filhos na falsidade tem ARRE arre vertidas.

Composta em 7/2/2015

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado