Boneca Yeda

Gastei volumosas notas. Com namoro com a linda Yeda.

Comprei pra ela carro de luxo. Na concessionária Takeda.

Fiquei charque em sua morada. Conhecido na alameda.

Fui bombardeado de ciúme. Por ter abandonado a Pedra.

 

Sendo alegre fiquei triste. Da história que empareda.

Ela usou todas as artimanhas. Nos bastidores ela enreda.

Firmei o pé para a disputa. Encarando todas as veredas.

Sou gamado em frutas doces. E não desprezo à azeda.

 

Vou trazer ela pra fazenda. Mesmo que o assunto feda.

Não volto rasto atrás Ao pesquisar a fundo à rica seda

Sem dar bolas ao acontecido. Não mudo a envereda.

 Não desmancho a felicidade. No momento que medra.

 

Que eu fique livre da antiga. Pra seus novatos que ceda.

No amor sou caprichoso. Meu coração não jamais arreda.

Tentarei pra sempre esquecer. Dos carinhos gerados da Pedra.

O mútuo amor que intensifique.  Com a minha boneca Yeda.

 

Composta em 24/4/2017

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments