Doze meses de Primavera (Pagode, Guarânia)

Se tivermos bom governador fica amena atmosfera.
Os reais lembram o nosso bolso é tempestade não goteira.
Progresso é por todos os lados o povo inteiro aglomera.
Progresso fica nas manchetes as farturas acelera.

Mais aborrece é com milagreiros que parece o anhanguera.
Fanfarrões vão ao palanque seus adversários supera.
Prometem até terras na lua sem perceber que exagera.
Coitados dos incautos na armadilha aprisionada sem quirera.

Os afamados extratos de bancos nas colunas tudo zera.
Esperando firme o libertador senta e cansa na espera.
Seus recintos requintados vão tornando uma tapera.
A casa enche de formigas os pisos vira cratera.

Vai contentando com os centavos com a carteira maninguéra.
Só vê seus patrimônios com abrolhos em tigüera
Coitado arranca os cabelos blasfema e vitupera.
Nome no Serasa e S.P.C trancafiado não libera.

Tem o seu nome publicado com a língua todos os  peneira.
Os amigos afugentam caindo fora da esfera.
Sua casa mobiliada só vê vazia em galera.
Chegam nova eleição de novo os políticos beira.

Dizendo que tiram da cisterna bons empregos eles geram.
Coitados ficam animados bem na frente da pacuera.
Pode ser até cortejado com namoro na paquera.
Parece banho de sauna que ferrugem não opera.

É uma hora bendita em que os ânimos proliferam.
É sorriso e aperto de mão os coitados se regenera.
E passando as eleições ele ninguém mais venera.
Quem perdeu baixo o focinho baixando noutra litosfera.

Coitado agora sem esperança não vota mais nessas feras.
Mais se aceitasse de candidato coisa digo se pudera.
Se ganhar faria o mesmo desses políticos megera.
Vemos que esperar dos abutres isso jamais maneira.

Convém mudar noutra atitude no positivo nós beira.
Quero ser cantor famoso querido da linda Vera.
Superlotando as variantes do parque Ibirapuera.
Confiando em que dá lucro os prometedores já eram.

Só cantor e jogador que os miolos refrigeram.
Com minha linda requintada até minha voz exagera.
Cultivemos o que dá lucros com sucesso nós prosperam..
Ano inteiro coberto de flores doze meses de primavera.

Composta em 8 de novembro de 2006 – às 13h29 

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments