Estopim Aceso (Guarânia, Rasqueado)

Era um moço feliz mais uma coisa faltava pra mim.
Era um anjo encarnado com cargo de Querubim.
Encilhava meu cavalo visitando os botequins.
Achei o que procurava os prazeres chegou o fim.
Achei uma lida cabocla na cidade de Mogim.
Passei usar linho importado joguei as roupas de brim.
Só servia de chacota em todos os jornais e pasquim.
Jamais esperava que fosse acender um estopim.

Uma moça tão faceira eu pensei que gostava de mim.
Era muito orgulhosa enfrentava manequim.
Comprei uma casa paraíso pomar e um lindo jardim.
Com cinco empregadas meu enxoval era cetim.
Ela não acostumou achou que a vida estava mirim.
Começou sair sozinha amando o Valentim.
Eu permanecia sozinho só coçando os micuins..
Com amigos e amigas se embriagava de gim.

Morria pensando nela ela sem ligar pra mim.
Ela festejava orgia eu descascava o aipim.
Ela almoçava em rodízios eu paçoca de amendoim.
A vida virou um inferno não podia continuar assim.
Precisei falar com ela relatei um boletim.
Separei dela chorando da minha linda Mérlin.
Que viva a sua vida nos braços do Zé Furquim.
Voltei á vida de solteiro na classe dos Serafim

 

Composta em 12 de novembro de 2006 – às 12h23

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments