Fisguei–lhes o Coração (Guarânia, Xote)

Vi ouvi, senti escrevi, pesou doído o papo do colibri inocente gemi.
Você aproximou não pude resistir inspiração verteu cantei deu para nós curti.
Se não gostou melhor não forneci, teve um olhar de sorrir e eu cair.
Nasceu namoro prossegui, colei meu coração junto de ti, ativou o pipi. 

Meiguice teu carinho igual não vi, beijei e acordei sem ver você sumir.
Este sonho que eu sofri nefasta experiência na presença do júri.
Mais um capitulo que venci, fracassada teve que me engolir.

Vi, ouvi, senti, escrevi, chorei quando apercebi enganava igual sucuri.
Venço seu amor reparti despeito fez eu logo desistir apercebi.
Mesmo sabendo o tanto que sofri,vi,ouvi,senti,escrevi sem unir.
Jamais voltarei a ti coração enfastiou tive que sumir sem garantir.    

Pesadelo que eu admiti, voltou a real concerto sem mentir.
Passa o furacão não morri na enxurrada não foi só eu que vi.
Perturbada pelo modo de agir, sem vitória dos intentos não florir.

Vi,ouvi,senti, escrevi você chorou ao a carta abrir descobri.
Notícias invertidas foi ódio sem desistir, daí você quis parir,
Fisguei-lhes o coração a dor teve que sentir sem me destruir.
Para a revanche teve que partir, acabrunhada querendo o amor rustir.   

Mas o caso não termina aí pode me ferir sem me constrangir
O futuro sujo seus amigos falsos vai descobrir o seu jeito falso de agir.
Apodrecerá o coração, fôlego vai sumir, já escondeu o nariz.

Composto em 07 de setembro de 2006 – às 08h24

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments