Fragata sem Perder o Rumo (Guarânia)

Já estive preso em seus braços hoje preso de verdade
Detesto a sua presença vendo tanta disparidade.
Com tanta maledicência teus atos de crueldade.
Prisioneiro de coração fechado. Derrotou toda a felicidade

Estou preso mais liberto. Do casulo que me atou
Libertou-me pra nova ventura. Com quem irradia amor.
Velhice transformou em festa.  Num pedestal que me colocou.
Seu arrependimento não dá resultado dos anos a dor que me causou

Sendo meu primeiro amor. Hoje na retaguarda distanciado
Estou bem com a carícia dos anjos. Não enganado pelo diabo
Não sinta ciúme da rival. Minha paz no mundo é anotado.
Na velhice mais jovem de talento.Vigor num elo sou bem corado

Só evapore do meu pensamento. No mundo novo consegui alforria
Sua prisão eterna o mundo vê. Cartões vermelhos dão com alegria
Nesta diferença choro meu erro. Por ter amado num mau dia
Sou alcatraz em rumo confiante. Em velocidade e Deus o meu guia

Composta em 16 de setembro de 2007 – às 10h16

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments