Freqüência no Amor (Guarânia)

Estou sabendo que beija minha foto para aliviar a dor que sente
Apercebeu que o amor igual o meu não encontra em todo continente
Quem engalfinhava num louco amor mais nos bastidor inteligente

Jogou seu querido por coisas mesquinhas tua decadência já alastrava
Por milhares de dias sem cessar tua falsa atitude me alucinava
Até que cansei dando desprezo daí atingiu o que almejava

Hoje está entre os homens que não ama os detesta eles pela frágil competência
Delirando chama o meu nome lembra da felicidade em amar com freqüência
Deslocou num abismo intransponível sem haver retorno em sua querência

O que é tarde e sem retorno se desespera ficando eremita
O que acarretou foi o ciúme e notando em outras felicidades bonita
Recorda do tempo que irradiava felicidade sem preocupar-se com sua marmita

Teus ossos vão apodrecendo desiludida com a idéia ao léu
Sabendo que na terra sem proteção muito menos existem no céu
Tua vida é corroída acelerada teu patrimônio é um mausoléu

Composta em 13 de novembro de 2006 – às 20h39

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.