Adélio Carlini Guarânia Natureza derrotada (Guarânia)

Natureza derrotada (Guarânia)

Sou igual o eucalipto que cresceu na encruzilhada.
Nunca olhou pras companheiras que estavam rodeadas.
Trinta anos de sincero com a natureza animada.
Mais um dia a moto serra nele fez a derrubada.

Eu sessenta anos sincero com minha vida sensata.
Até que veio traidores libertou-me da ingrata.
Restaurando a saudade da minha vida pacata.
Hoje está apodrecida envergonhada a minha Renata.

Renata e a natureza têm de nascer novamente.
Os monstros deste mundo destroem amargamente.
Só que a natureza é amiga e sofre mesmo inocente.
Mais a Renata maldosa e o traidor destroem covardemente.

Eu igual o eucalipto só espero ser destituído.
Eu dava pouso aos amigos eucalipto os desprotegidos.
Eu e o eucalipto  incauto   traidores deixam –nos vencidos.
A Renata foi o fator derrubando seu marido.

Eu amei essa Renata estou vendo o resultado.
Sua ambiente destruída nas mãos dos retardados.
Pra ela resta a saudade de quem era seu amado.
Eu e o eucalipto e Renata e natureza derrotado.

Composta em 16 de novembro de 2006 – às 06h51

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado