Ninfa (Pagode, Guarânia)

Eu vou, eu vou, eu vou com você vou me casar.
Porque depois que você foi minha vida é só chorar.
Teu felino conta as horas, da ninfa vejo o semblante.
Seu ser ficou gravado em meu coração possante.
 
Meu coração é sua morada vou deixar-te prisioneira..
Nosso amor não estaciona amamos a vida inteira.
Não ficamos distante perto fico ansiado.
De nossos abraços e beijos nunca ficamos enjoados.

Está morando em meus sonhos, não mudamos a rotina.
Dá alcunha meu prazer, mas eu só chamo de Cristina.
Amor com sinceridade parece amor de menino e de menina.
A ninfa nasceu para mim em nosso viver destina.

Chama eu só de palavrões que não está no dicionário.
Eu só chamo de princesa porque sou teu proprietário.
Chamando de enxertado de fêmea  em masculino.
Corações não desintegram temos atos repentinos

Te espero sem canseira porque sei que você vem.
Conto horas e minutos meus anseios está no meu bem.
Quero ser o primeiro conduto ao você descer do trem.
Nosso amor no mesmo ingrediente tudo que eu tenho você tem.

Composta em 18 de outubro de 2006 – às 11h46

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.