Olho Mirado na Zuca (guarânia)

Tenho uma vida muito feliz, pois sou casado com a Zuca.
Tem hora que eu fico triste É quando a criança chupa.
Fico bom tempo distante procurando esfriar a cuca.
Também eu fico ausente aos nove meses que ela estufa.
Saio passear com a Gioconda Coloco a Cristina na garupa.
Fábio passeia na égua baia e no alazão vai o Juca.
Sou triste com salário mínimo e tenho de coçar a nuca.
Mais consigo pagar as contas no mercado do Lucas.
Mais aumenta a vida feliz mesmo morando em baiuca.
Na mesa tem batata doce criançada alegre batuca.
Temos frangos temos ovos e só gasto muito açúcar.
A cabrita que dá leite que a Zuca não retruca.
Temos engenho e monjolo onde à farinha sururuca.
Pescando venho com os bagres que a criançada toda rufa.
Dão seus rodeios advertindo alegrando na batuca.
Meu coração jubila satisfeito porque moleque me cutuca.
Vivo feliz aqui na roça longe das terras das estupra.
Aqui ainda tem moças castas aquela matuta xucra.
Vivi pescando e caçando procurei eu é que caí na arapuca.
Sem perceber a vida passar de olho mirado na Zuca.
Aqui tudo é muito lindo com a natureza que se lucra.
Estamos livres da dengue e das malditas mutucas.
Divorciei de cidade grande que a maldade pururuca.
Quero é o sertão querido distanciei até de Mombuca.
Composta em 5/6/2014

 

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments