Prisão em Liberdade (guarânia,Poema)

 

Tudo o ser que vem ao mundo cada um com seu fadário. Uns são bambas na política e tem profissionais berçários.
Outros estão na faculdade poucos passam de abecedários.  Tem os de mentes agudas sem uso de dicionários.
Outros não levam vantagem viram traficantes presidiários. Alguns mais audazes transformam em mercenários.
Uns viram pobres esfarrapados outros unham é bilionários outros em trabalhos duro outros estão em mamários.

Alguns é tipo ateu tem quem desfolham o rosário. Vivem bem os caloteiros em contos de vigários.
Vivem muitos dando sopas outros solitários. Honestos passam de bobo igual um dromedário.
Aposentados gastam cuspos reclamam dos baixos salários. Vão anos vão decênios colecionando centenários.
A inimiga velhice chega completo o seu cenário. Final é paupérrimo no esquema ordinário.

Pobre aposentado vive preso sólito igual canário. Sua vida é estrada caminho de judiciário.
As arvores cai em cima não de mão de ludibriário. Sempre com pulgas atrás das orelhas sem ser revolucionário.
Sem  o décimo terceiro o natal torna contrário. Dando com o pé na pedra sem auxilio de candelário.
Coitado sem advogado se enrosca no apiário. Uma mão na frente outra atrás vai encerrar o comentário

Igual galo afinado com esporada nos ovários. .Sem ajuda de ninguém  distante de empresários.
Documentos encurralados apodrecendo nos armários. Negócio é levar vaia por todos os comunitários.
Rumando num precipício banguela perdendo dentário.  Só olha níquel nos bolsos perde o crediário.
Solução é tomar gasosa no dia do aniversário.  Próximo ano é a esperança renovando documentário.

Igual bola no gramado sem médicos sem boticário. Ninguém quer ficar com ele encerrando seu sumário.
Precisa torrar seus bens nem que esteja no inventário.  Ou primeira solução  procurar hipotecário.
No porto da esperança onde há refugiário.  Negócio é esperar pedradas virando celibatários 
Fica de miolos débil fracassos deu incendiário. Afogando com tubarões seus maiores autoritários

Assim o pobre é miserável sem estudo nos seminários. Sem cursar faculdade por ser neto de agrário
Ainda vota na esperança de encontrar um visionário.  Esperança dum milagre acorrentado num tubário.
Mas Deus muda seu esquema destruindo os falsários. Já foram longe demais Deus rompe o estuário
Ele é juiz Altíssimo com final aos criminários. Ricos não estão sem aviso já foi enviado emissário.

Agora pensem no que fez                 Com força e sabedoria
Deus vai destruir estagiário               Arranca sem prontuário
Embarca num camburão                    Risca o nome nobre do livro
Limpando os extra viário                     Livrando dos autoritários.
Impossibilitando seus ataques            Indo mudo ao tribunal                      
Opera sem auxilio de rodoviário        Num arranco sem igual                      
                                                            Internet não tem plagiário.
Composta em 2/10/2006                       

Viva um mundo sem apagão.               Sinta que Deus esta contigo.      
Iluminado com energia.                        Aumente amor sem limite.
Lute por vida melhor.                           Não despreze  o seu diploma .
Alforriado com alegria                         Trabalhe na maratona.
                                                              Aumentando a fé com apetite.
Tenhamos amor aos humanos.
Este é o fio da meada.
Rabisquei foi com ajuda.
Encorajo fugir da aguilhada.
Zelando do próximo valoroso.
Instruindo em boa estrada.
Nações unidas forma potência.
Havendo quem topa a parada.
A nossa vila faz a chamada.

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments