Relâmpago de Amor

Por eu ser muito adolescente sem a prática do amor.
Mandava lindas cartinhas com desenho de uma flor.
Com ela no pensamento extasiava as minhas dores.
Via-a ela no aposento as minhas faces mudava a cor.

Quando vinha da escola bom tanto ela me acompanhava.
Mais os tempos foram mudando nosso amor só aumentava.
Culminou com casamento na alegria ela só chorava.
Não via passar o tempo com os deleites que formava.

Destino cortou eu na raiz quando um filho apareceu.
Deixando ele em meus braços e satisfeita morreu.
Meus olhos estão cozidos de lágrimas que já correu
Tenho um filho robusto presente que ela me deu.

Não compareço no cemitério nem nos dias de finados.
Sei que jamais eu te vejo como foi nos tempos passados.
No prelúdio que reserva conforme vivo arrasado.
Logo estarei no paralelo sem notar que estamos colados.

Morte é o fim da vitória

Composta em 17/5/2014

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments