Safra da ingratidão (guarânia)

A borboleta que está de flor em flor sem perceber o perfume e o odor.
O conhecimento arrasado faz chorar suas asas névoas irá um dia se gastar.
O lépido que deixava você pomposa igual colibri sem a fragrância da rosa..
Isola pairando na sua indecisão colhendo frutos da ingratidão.

Flores orvalhadas cintilantes deixam em miopia cega ofuscante.
O néctar que você mais pretendia em carência estando na agonia.
Morena orgulhosa sem freio de mão nua sem oferecer um fértil coração.
Recebe um odor dum OK apaixonado sem perfume no esquife abandonado.

Morena orgulhosa que tinha vigor sumiu derreteu quem era o seu amor.
Morena orgulhosa é tarde para chorar vestes sedosas corroída sem saber amar.
Flor que despoja de você se enoja e o martírio arroja tristeza aloja.
Objeto sem preço em oferta eu vejo padeço expostos incautos arrojam.

Aqui no meu canto sem esquema tanto amei hoje tenho pena.
Imã oposto se distancia sem eu poder oferecer alforria me arrepia.
A negra sorte leva ambos à morte agora nem que volte.
Hoje eu triste dava alegria teu sofrimento nos asfixia.

Composta em 2/10/2006 Hora 9;16

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments