Tibete Deus Acolhe Primeiro

Brasileiro orgulhoso dos atos cisma estar bem, mais sua atitude é nua e procura jeito em dar relato de sua profissão para engodar um Tibetano a entrar no ramo dele. Eis o (desenrolo).

Tibete vida pacata procure erguer a cabeça. Tome parte na moleza e adquira status

Empanzina dinheiro e nos banco é querido. Só basta ter comigo firmeza num trato

Tudo fácil de mão armada provoco assalto. E vou só tomando dinheiros dos patos.

Quero ser vagabundo arquivo mulheres bonitas. Sinto bem levando a vida de rato.

 Dizia o fulano em poupa jactância. Nós aqui somos cultos na tecnologia

Produzimos máquinas e alimentos. Exportamos drogas do Acre até da Baía.

De Mato Grosso e do Paraná. Vizinhos faz a mim a travessia.

Em assaltos e roubos temos folga Que autoridade nem desconfia.

 Dizendo que os asiáticos têm. País livre sem auxilio de internet.

O brasileiro discute em telepatia. Com um nativo humilde do Tibete.

Dizia o monge nós não somos escravos. E aí Banco do Brasil põem sorfete.

Põem freio na boca ou é fisgado em espora. Escravo morre e não derrete.

Transformando em corpo seco. E avarentos nas dívidas que se mete.

Você lá em baixo eu em cima. A neve dá saúde aqui sem depressão, câncer e diabete.

Nas alturas somos vitoriosos. Perto de Deus próximo do céu.

Aí vocês têm a tal próstata e prisão. Com teu ramo cai num mundéu.

Aqui Jesus nos acolhe primeiro. Enrolando em seu branco véu

Somos simples o vicio não apodera. Não lutamos por falsidade de anel

Composta em 2/1/2014

 

 

 

 

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments