Volúpia Admissível ( guarânia)

A gatinha me conhece a me ver sente cólica.
Desespera insiste apressa imita antena parabólica.
Mal me quer bem me quer torna fluente na retórica.
Vitoriosa contando o rosário mesmo sendo leiga católica.
Nossos momentos aprazíveis contrariando a ordem apostólica.

Mais eu sem cólicas igual escorpião com aguilhão cercando o fecho.
Picadas tornam eficazes, pois o escorpião não é malecho.
Sabor estimula torna feliz entorpecida dormindo que eu deixo.
Ambos sem negar a patente subimos serras e repeicho.
Isentos de frustrações nutridos é nossos apetrechos.

Sem a repulsão de amor não haverá sobejo para divide.
Somos iguais parafuso e porcas roscas iniciativas de convide.
Nosso amor é rotineiro sempre isento de revide.
Suas cólicas a jato afugentam chapéu sem sair do cabide.
Na volúpia admissível é nova etapa e sem liquide.

Enquanto abre o pára-quedas canhão vai direto ao céu.
Morre a cólica da presa a caça sem fugir do mundéu.
O escorpião joga a descarga o cabide derruba o chapéu.
Caçapa recebe e devolve na aventura de macaréu.
Sem drogas só venceremos saúde numa hora sem o selo do véu

Composta em 10/12/2006 hora 15:00

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments