Desilusão de Amor (Moda de Viola)

Escritor desenha versos em um lindo colorido.
Com linda inspiração com esforço decorrido.
Mas comigo é diferente não é inspiração fingido.
É um caso verdadeiro dum coração fiel sofrido.
Com desilusão de amor dum longo tempo vivido.
Eu amei intensamente jamais correspondido.
Em troca dos meus carinhos dos abraços recebidos.
Recebi o pior dos prejuízos sem estar apercebido.

Nosso amor começou igual um jardim florido.
Onde o beija flor chegava e não era interrompido.
Cada flor que ele beijava nosso ato era repetido.
Não cansei de dar carinho com aromas absolvido.
Pensamento ocupado não saindo do sentido.
Meu coração modesto ficou num canto escondido.
Meus lábios emperrados sem murmúrio emudecido.
Meus cabelos branquearam potencial apodrecido

Sem ela estar ao meu lado sou um lixo destruído.
Meus olhos embaçaram de cegueira estou atingido.
Não escuto a voz do vento deficiente dos ouvidos.
Meus passos encurtaram o cão não dá mais latido.
O telefone não toca só tem linha interrompido.
Correeiro mudou a rota de mim já estão esquecidos.
As nuvens apoderaram os astros estão sumidos.
O sol que iluminava aquecia sem dó tem recolhido.

Alua não me abandonava contrato foi rompido.
Até minhas serenatas alua não tem aplaudido.
Estou me desintegrando de tudo desiludido.
Parei de ser refugio de todos os corações partido.
Minha voz meu violão pra sempre está desistido.
Só terapia intensiva  no coração derretido.
Mais se voltar me amar tudo será resolvido.
Não irei mais lastimar serei um rico merecido.

Composta em 17 de julho de 2006 – às 07h17

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.