Estrada do Abismo (Moda de Viola)

Estava sentado perto da mesa observando a natureza.
Vi um sanhaço devorando uma frutinha como alimento.
Sem pensar no dia de amanhã com a mente sã.
Diferente da humanidade abarrotado de tormento.
Homens com ganância de com eras de distancia.
Ocupado em  prolongado intento ou grandes empreendimento.
Devoram seus companheiros pelo maldito dinheiro.
Não importam com os trágicos acontecimentos

Nossa nave que viajando vê coisas sempre mais feias.
Deus vai destruir os idólatras senis animais ateus.
Sem obedecer quem fez o sol nascer sem conhecer quem faz chover.
Para o seu sustento de alimentos pros recursos seus.
Vê os rios grandes secando por tua causa natureza definar.
Sem observar seu futuro idólatra esvaecer morreu.
Governantes prepararam e agora envergonhou.
Receberão logo mais catástrofes que bem mereceu.

Passarinhos inteligentes são as minúsculas sementes.
A criação adota desde o começo triunfa não é plebeu.
Vejam a natureza grandes fontes de riquezas.
Homem destruiu por idolatria que não percebeu.
Uma arca maior que a de Noé  ainda esta firme em pé.
Jesus construiu para salvação do reino que nasceu.
Homem apartado da natureza com sua vida presa.
Idólatras inflamados perecem porque Deus não os conheceu.

Composta em 13 de novembro de 2006 – às 8h10

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments