Fonte do Riacho (Moda de Viola)

Exigia-me amor eu pagava sem haver desconto
Naquela esquina perto do seu trabalho era nosso encontro
Se você falhasse deixava-me colérico tonto
Se eu ausentasse dentro de um dia  para mim era afronto
Mas o tempo do idílio hoje todo esquema  desmonto
Tua atitude falhou, vazio hoje está o nosso  escolhido ponto

A uma boa distancia enxergava você cortando atalho
Doze horas sem me ver ansiedade causava desmaio
Impaciente esperando transeuntes olhavam de solaio
Na certeza que ambos não falhava satisfazia sem ensaio
Garanto e não minto que o nosso amor não dava trabalho
Noitadas satisfatórias sem importar com chuva e orvalho

Tua ganância fui notando  ciúme forte e doentio
Sua exigência multiplicando-os só  na maldade progrediu
Em desconfiança atacando-me semanas meses a fio
Até que enfim vida estimulada  deplorou extinguiu
Amor que era colorido  desbotou morreu no estio
Infortúnio avança o destino desfolhou, tudo destruiu

Olha as faces dos novatos, mas do mato não sai coelhos
Olha onde se interessa mas só vê sinal vermelho
Sem sensação sem refletir em frente do aparelho
Quem tinha amor de ouriço perdeu a cauda igual   a cotia no espelho
Amor desses novatos em nada sou em nada assemelho
Sou uma fonte de riacho é fluxo  sem papo sem conselho

Composta em 1 de novembro de 2006 – às 18h39

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments