Rodeio do Peru

Nos lúbricos estados de amor o lorpa que eu fui na inocência.
A Loreta se requebrando nos cabarés onde eu tinha permanência.
Vida sobrea e passageiro resultado foram em ir para falência.
Fui um tolo loque te no dinheiro passando longe a inteligência.

Com as noitadas na friagem saúde me soltando eu na sarjeta.
Eu que dormia em hotel de luxo. Hoje no catre faço careta.
O luxo atingiu a extremidade tinha terno importado sem jaqueta.
E se foi mais hoje é só no brechó e fugiu de mim a Loreta.

Chegou a velhice sorrateira na tolice perdi a minha juventude.
Estou levando a vida precária derreteu minha moral e saúde
Vivo em prisão domiciliar sem ter vivente que me ajude
Moro num barraco de chão batido sem fazer uso da virtude

Atrás de mim estão vertendo muitos, que são completa cabeça de bagre.
Fazem seus rodeios iguais a perus, porque as despesas tem outro que pague.
Tomam seu uísque em bolsos alheios, depois enchem o bucho de vinagre.
Viram um esqueleto horripilante desajustado, que é inútil no efeito de sumagre.

Composta em 7/9/2014

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments