Adélio Carlini Moda de Viola Rosa dos Ventos (moda de viola)

Rosa dos Ventos (moda de viola)

Trinta e duas namoradas que gozava e disputava.
Era igual a rosa dos ventos elas todas me rodeavam.
Querendo escolher só uma mais a coragem faltava.
Embaraçado cambaleando sem perceber o que passava

A cabeça também o coração partindo em mil pedaços.
O interesse fluía animado fracassado sem haver compasso.
Em direção contrária caindo bom psicólogo deu um abraço.
Ajudou sair dos emaranhados mais permaneci seguro no laço.

Aquela que separei por amor judiou tanto para resto da vida.
Psicólogo não surgiu efeito sou um morto vivo alma falida.
Amor no ciclone surgiu só pude contar a batalha perdida.
Guerra gerou em escaramuça e bombardeado por minha querida.

Sem rumo fixo sou estrela cadente com desastre que ela causou.
Amor eu tenho nela e não destruiu mais minha sina tudo mudou.
Tornei indigente sumiu a fortuna em reciclagem hoje estou.
Balbuciando o nome dela na vida arrasada que me deixou.

Composta em 24/9/2014

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado