Solitário Eremita (Moda de Viola)

Por causa do meu grande amor surgiu esta linda inspiração.
Tirei verso doloroso no manhoso violão.
Alzira despreza escorregando fingindo sua paixão.
Sabemos o que a boca diz já treinou o coração.

Em tempo muito remoto sabemos com esse amor nasceu.
Constante jurava amor e o meu intimo não escondeu.
Revelei todas as minhas juras de amor o melhor logo aconteceu.
Mas o tempo foi mudando repentinamente retrocedeu.

Chegamos a um beco sem saída o barco rompeu naufragando.
Em barreira intransponível em lamaçal afogamos.
Seu amor mudou de rota e meu coração foi definhando.
Derreteu sua ternura e afeto por você eu vivo chorando.

Neste abismo de tormento solitário eremita.
Sem você pra me dar calor com aquelas palavras bonitas.
Meu fim aproxima apresando duma forma esquisita.
Meu coração será saudável se o nosso amor sério se repita.

Pode marcar novo encontro vou ser pontual até nos minutos.
Não consigo viver sem você com você eu apresentava produto.
Lastimo choro em delírio estiagem secou meu conduto.
Não demore na decisão senão tu vai vestir luto.

Composta em 23/10/2006 Hora 17,55

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments