Adélio Carlini Moda de Viola Ultima Festa (moda de Viola )

Ultima Festa (moda de Viola )

Fui chamado pra uma festa lá no jardim alvorada.
Para eu cantar bonito com minha voz afinada.
Na casa da Biatriz alegrando as moçadas.
Sou violeiro escolhido pra cantar lindas toadas.
Eu fiquei até desvaído porque fui muito aplaudido.
Vi assistência animada.

Não esqueço com saudade vendo a Lia apaixonada.
Na hora que eu despedi ela com as faces molhada.
Apertou a minha mão o coração deu as badalada.
Dirigi a minha besta ela saiu grudada.
Com você quero casar sou virgem posso provar.
Em tudo estou preparada.

O coração virou em pedaços deixando ela desmaiada.
Eu disse não posso casar tenho a vida complicada.
Não posso deixar a viola dividida isolada.
Meu destino é cantar bonito sem ter a vida amarrada.
Gosto de vencer peleja folgazão com inveja.
Atacando-me com pedradas.

No outro dia ocorrido notícia foi publicada.
Com o velório da Lia fugi de madrugada.
O coração esmigalhado pela desgraça aprontada.
Morreu chamando meu nome numa cama estrebuchada.
No prazo de hora e meia estava entre quatro candeias.
Parentes e vizinhas rodeada.

Menina igual Lia nesta terra depravada.
Apodreceu a minha voz com a viola acompanhada.
Eu vivo só chorando profissão abandonada.
Jamais verei a Lia sinto a alma perturbada.
Depois de ela ter morrido do mundo estou desiludido.
De comigo na ser casada.

Composta em 1/11/2006 Hora 12;28

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado