Viola Amiga (Moda de viola )

Nas noites solitárias tenho necessidades em dar aconchego em meu coração
Começo recordar das noites feliz Surtido de amor, só tinha afeição.
Olho no quarto e vejo aquela das quais faço rima no violão
As fotografias no álbum que faz aumentar minha inspiração.
Primeira namorada chamava Minerva e nas cordas Mi tiro minha canção
Mas quando estava na faculdade era Renata minha maior ilusão.
A s cordas Ré e Mi que choram sentindo ausência de minha precisão
Mais era a Solange que me acompanhava nas jornadas de minha função

A Lariza que era a mais quentinha preparava quitute para refeição.
A Fabiana foi minha professora eu devorava as melhores das lições.
A Dolíria não me dava sossego mais a Sibeli minha maior paixão.
Continuo um cantor afamado todas elas faz falta para nossa união
Minha tristeza que todas me abandonaram por eu ser o maior folgazão.
Minha alegria está nos braços da viola só ela sabe a minha intenção.
Não abandono por nada deste mundo nossa forte e meiga atração.
Na viola confio toda sinceridade não é dúbia nossa relação.

Se essa fileira vier me procurar não mudo idéia é minha decisão.
Podem voltar carente de tudo da minha viola eu não abro mão.
Ela fitou o meu nascimento e braço direito na cooperação.
Única que vai acompanhar apodrecendo comigo dentro do caixão.
Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Si inspira gemendo sonho a composição.
Lembro o tempo das aventuras com retrato em representação.
Deixo a saudade curtir vagarosa da infantilidade da minha gestão.
Quanto mais à viola me cura não haverá ninguém pra mudar a opinião.

Composta em25/11/ Hora 10;10

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments