Crisálida (Pagode)

Querem ser dono da cocada preta quem é rico e tem estudo.
Mais a lavagens de dinheiro manobra só em nego graúdo.
Onde que está à fonte de traficantes não com os pobres mais com os orelhudos.
Pensam em safar-se da autoridade tua elite embarca em criado mudo.

Se o que escrevo os atormenta encolha o rabo fique quieto sorrindo.
Porque o porco grita de dor de dentes quando os cachorros pregam os caninos.
Sou o cachorro da alta sociedade mais quem é o porco sujo é suíno.
Procuro raciocínios dentro da gaveta e como o rabo dos granfinos.

Vocês vão tecendo o seu casulo pra crisálida nos dá a seda.
Morre prisioneiro da sociedade ninguém liga que a lixeira feda.
Erram o alvo chupando laranja doce depois se contenta em chupar a azeda.
Sejam  iguais os grandes do ´passado sem trocar honestos suas veredas.

Estudou mas sua pose é só de burro vejam quanto cientistas abnegados.
Vida toda estudando formulas pra curar a aids dos safados.
Cientistas na eletrônica em laboratórios produzindo com estudo bem aplicado.
Os nojentos nas fossas catinguentas seus estudos seguem de outro lado.

Notem o labor de Osvaldo Cruz Rui Barbosa Vital Brasil afamado.
Pasteur que atuaram em seu favor vocês não tem vergonha por ser estudado.
Quem estuda o câncer e hansen  e também da meningite  seus filhos sossegado.
Tropas de fanfarrões orgulhosos amem o Brasil seus fodidos arrasados.

Estamos na terra da informática podendo até comunicar com os astros.
Alguém  presenteou isso nas suas mãos tirem as cracas dos seus cascos.
Sejam vitoriosos hasteando a bandeira mais que vocês mesmo seja o mastro.
Deixem suas hemorróidas e reumatismo e suas contusões tirando o emplasto.

Resolvam logaritmo superior também atuem sendo discreto.
Lembrem que os futuros necessitam seus visinhos netos e bisnetos.
Só abrindo tua velha miopia fazendo o que no mundo é correto.
Lavar dinheiro e traficar drogas vai acertar suas contas com o grande Arquiteto.

Sangue de pobres sempre é bom não tem aids câncer ou diabete.
Ele satisfeito faz a doação e vocês nem lembra em pagar o frete
Dizem que o pobre é cachorro sarnento deixem que o assunto complete.
Pobre dá seu alimento e limpa seu banheiro extasie até que o diabo te derrete.

Falem grosso em suas reuniões e lembre de quem está completando seu almoço.
Sua empregada escrava mais servindo mais é isento dos seus endossos.
Garganteie suas riquezas no cemitério não fala nem fino ou grosso
Lá que seca suas fanfarrice mascarada os coveiros dos parentes vê os alvoroço

Composta em 29 de novembro de 2006 – às 14h53

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments